quarta-feira, 1 de setembro de 2010

ENTREVISTA COM NOSSA AMIGA DEIA


É com enorme prazer que recebemos em nosso Blog, 
uma pessoa maravilhosa.
Como vocês...

NOSSA AMIGA DEIA DO BLOG...








1. Uma descrição do Rumo à escrita: 

O "Rumo à escrita" é a aventura de me apresentar através das palavras.

2. De onde surgiu a idéia de criar o Rumo à escrita? Você obteve alguma inspiração em algum outro blog para começar a publicar o seu? 

A ideia surgiu da necessidade de explorar o meu processo de construção dos textos, contos, observações, reflexões, enfim, todas as formas de expressão através das palavras que eu tanto gostava mas que não sabia muito bem como armazenar.  Não me inspirei em nenhum outro blog, mas conhecia um blog, da Cris Guerra, o "Hoje eu vou assim", e achei interessante essa ferramenta.

3. Como foi a sua primeira postagem e o que te motiva a manter o Rumo à escrita?

A primeira postagem foi a explicação do que eu pretendia com o blog - explicação essa tão enraizada que permanece verdadeira, um ano depois do blog ter surgido.

4. O que você dá mais importância em seu blog? E por quê?

Valorizo a qualidade dos meus textos. Procuro fazer revisões antes de publicá-los, checar dicionários, gramática! E faço isso porque acho que é um carinho a mais aos que me lêem. Como o objetivo é a escrita, tento elaborá-la o mais dentro dos padrões de escrita culta que meus recursos permitem - mas não vão reparar um escorregão e outro, pois sou humana, também "herro" - rsrs!

5. Qual o interesse dos visitantes no Rumo à escrita?

Que tipo de informação ou interação você acha que eles procuram? As pessoas que visitam mais frequentemente o blog são aquelas que, como eu, sentem prazer em ler textos bem escritos. E isso se reflete em seus blogs, seja com excelentes textos próprios, seja com a elegância com que procuram outros autores e oferecerem leituras de qualidades a seus próprios seguidores, seja sendo criativos com outras formas de arte (artes plásticas, tirinhas, ilustrações, culinária, indicações de filmes -  a lista é grande!). Há uma troca de pontos de vista, descobertas muito enriquecedoras.

6. O que você mais sente falta no Brasil e como expressa isso em seus textos ou poemas?
 
Não escrevo textos que falem do país como personagem principal. A maioria deles é sobre as pessoas e relacionamentos.

7. Como você define seu momento de criação ou de escolha caso você não escreva seus próprios textos ou poemas? 

Ele acontece espontaneamente, sem hora ou local marcados. Fico lembrando da frase, do som ou da imagem que vi e que me causaram a emoção que será traduzida em palavras e fico "segurando" a ideia até poder chegar no computador mais próximo! E escrevo direto no blog, não tenho paciência de escrever primeiro no word para depois transcrevê-lo. Na hora que começo a postagem, ela flui inteira e é finalizada naquele mesmo instante e publicada, sem escalas. Houve uma única vez em que escrevi um texto que não publiquei imediatamente (apesar de estar salvo como rascunho dentro do blog). Poucos dias depois surgiu uma parceria com um outro blog (o Baú do Veloso) e fizemos a postagem com a combinação do meu texto e a ilustração criada por ele. Foi ótimo!

8. Qual a imagem que você faz das pessoas que apenas colam comentários e não interagem com o que você de fato escreveu? 

Pois é, essa pergunta corre entre os blogueiros e cada um tem uma opinião. Eu não faço isso. Visito o blog, leio a postagem e comento sobre o assunto que mais me chamou atenção, dou minha opinião e tenho o maior cuidado em respeitar o espaço onde estou. Afinal, o blog é a "extensão" da casa de alguém. No entanto, já sei diferenciar quem cola uma mensagem para deixar um carinho e quem apenas faz "propaganda" de seu próprio blog.

9. Porque você batizou o seu blog com este nome?

Quando pensei no nome que daria ao blog, sentia que precisava ficar claro, a quem ali chegasse, que meu objetivo é a escrita, quase como um fim em si mesmo. Daí, o nome "Rumo à escrita".

10. Se puder e quiser, fale um pouco de você e de seu trabalho.

Há pouco mais de um ano parei de trabalhar e voltei minhas energias para as minhas filhas. Já escrevi um texto há algum tempo atrás em que dizia que minha profissão era ser mãe! Mas é claro que vai muito além disso - ser mãe é uma dádiva, tantas mulheres que gostariam de ter filhos e não conseguem. Então valorizo até o meu último fio de cabelo a benção de ter duas filhas meigas, inteligentes, cheias de vida. A troca que temos me ensina sempre, e sinto que desde que pude ficar livre, só com elas, elas relaxaram mais e hoje, se perguntarem, elas não querem que eu volte a trabalhar fora de jeito nenhum! Mas, isso, vai mudar em breve...

11. Você acha que a visitação/repercussão do Rumo à escrita está boa?

Era isso que você esperava? É muito além do que eu esperava. As pessoas comentam, se interessam pelas ideias mas também se interessam por mim. Fiz amizades que cruzaram a fronteira do virtual e hoje conheço pessoalmente muitas das pessoas com quem interajo no blog. É estimulante!

12. Sobre o layout das suas postagens (imagens), como você definiria seu estilo?

No início do blog eu não usava imagens. Depois de um tempo, comecei a sentir falta de algo que falasse também aos olhos dos leitores. E, mais recentemente, tenho procurado postar (quando o assunto casa com meu acervo) fotos tiradas por mim em minhas andanças. Então, fico muito contente quando consigo unir duas paixões (a escrita e as fotos) em um mesmo post.

13. O que te chamou mais a atenção na blogosfera?

Exatamente o que mais gosto: as blogagens coletivas! Que chance única de ser desafiado a escrever sobre um assunto que não brotou de sua imaginação e, depois de escrito, você poder constatar que vários outros pontos de vista foram usados para falarem do mesmo assunto! Fiz amigos, aprendi sobre temas que jamais cruzaram a minha frente, tudo graças às blogagens coletivas.

14. O que faz você pensar em desistir de continuar com o Rumo à escrita? Algo assim que te aborreça e que gostaria que fosse diferente...

Nada. Hoje não há nenhuma parte de mim que se intimide ou entristeça com absolutamente nada. Sou sempre bem tratada, com respeito e cortesia, bem recebida nos blogs que visito, fazendo cada vez mais parcerias com pessoas que, no mundo real, jamais cruzaria. Então não há nada que me faça pensar em desistir do Rumo!

15. Como faz para escolher o titulo de seus poemas ou textos?

Eles nascem juntos com a elaboração dos textos. Fujo de títulos mais óbvios, por vezes eles são uma interpretação do texto, uma frase, uma sacada da história. Mas, cada um tem sua trajetória própria!


16. Você poderia afirmar que a música influi diretamente em sua forma de escrever?
Caso sim...explique como se dá este processo.

Não, ela não influi, mas serve de pano de fundo. Desde o começo das postagens eu alternava meus textos com música, até que descobri em um blog americano o Mixpod - desde então, quem entra no Rumo ouve a trilha sonora que me acompanha no dia a dia.

17. Quanto aos comentários e visitas, qual o nível de importância eles tem para você no sentido de dar continuidade ao Rumo à escrita?

O Rumo existiu muitos meses sem comentários. Só quando participei da primeira blogagem coletiva aqui do Espaço Aberto é que experimentei o gosto de ter meu trabalho comentado, discutido, analisado. E é uma delícia! Já tenho visitantes, que hoje considero amigos, cujas opiniões eu fico "seca" para ouvir quando posto alguma coisa nova! Por isso, os comentários tem uma importância enorme para o Rumo hoje em dia!

18. A que ponto o Rumo à escrita interfere na sua vida pessoal? - Ou o contrário...rs... 

Como o horário das crianças é muito cheio de manhã e elas só entram na escola no período da tarde, tento me restringir a postar, responder ou mesmo comentar no Rumo quando elas estão na escola. Mas, e a coceirinha que dá quando aquele amigo faz um comentário e você fica doida para ler? Ou mesmo na blogagem coletiva, a força que faço para visitar a todos os blogs participantes? Às vezes peço um tempinho a elas à noite, enquanto elas fazem o dever de casa, e corro para o blog, para visitar os amigos.


19. Aqui o Espaço agora fica Aberto para que você possa deixar o seu recado...
Obrigado por sua participação.
 
Espaço Aberto, ou, mais especificamente, Élcio, Tati, Liene, Sanzinha e Wilson: gosto de me referir ao Espaço Aberto como uma praça onde se reúnem pessoas interessadas no aprendizado que as interações nos oferecem. Rimos, refletimos, choramos, todos juntos. Foi por causa desse Espaço que fiz as amizades que hoje tenho na blogosfera. O trabalho de vocês é agregador, inclusivo e de extrema delicadeza. E repleto de respeito ao próximo e a vocês mesmos. Obrigada pelo convite para vir falar do Rumo, e lá estou com as portas sempre abertas, a chaleira no fogo e o hortelã limpinho, cortado, dentro do bule, para que possamos tomar um chazinho juntos e jogar conversa fora. E esse convite é extensivo a todos os amigos do Espaço Aberto, pois morar em "casa de vila" é muito bom! E, no frigir dos ovos, é assim que me sinto: numa casa de vila com vizinhos ótimos ao longo da rua! Um beijo!

20. O nosso recado para a Amiga Déia

Agradecemos a sua participação e presença constante em nosso blog e interações com os amigos. São pessoas como você que nos incentivam a manter esse blog e as parcerias que são feitas ao longo do tempo.
Receba o nosso carinho e admiração!


Conheçam a 
NOSSA AMIGA DEIA DO BLOG...




Em tempo...
Segue o vencedor do sorteio do livro da nossa 
Querida Amiga Ana:



1-      Deia
2-      Luis Ferreira
3-      Isadora
4-      Paula Barros
5-      Ana
6-      Tatiana
7-      Tentativas Poemáticas
8-      Lis
9-      Tossan
10-    Animações
11-   Vanessa
12-    Elcio
13-   Angela
Parabéns Isadora!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails