terça-feira, 17 de maio de 2011

Ordem natural das coisas



Ordem natural das coisas

(Guilherme Rondon e Paulo Simões)


 

Quando o sol já corre a se esconder
E a noite já se faz sentir
Aparecem os velhos temores
Coração precisa resistir
Não se mata a sede de viver
O futuro nunca vai ter fim
Nem que seja o sonho dos poetas
Tudo aquilo que restou pra mim
E que me conduz
 

De repente vem uma canção qualquer
Logo nos seduz
E a verdade que ninguém podia ver
Surge a olhos nus
 

Mas nem tudo é como a gente quer
Esse mundo não foi feito assim
Desprezamos todos os valores
Nem sabemos mais o que é ruim
Então siga logo quem souber
O caminho para ser feliz
É viagem pra quem não tem pressa
O destino de quem sempre quis
Ter alguma luz
 

De repente vem uma canção qualquer
Logo nos conduz
E a verdade que ninguém podia ver
Surge a olhos nus
 

Com a ordem natural das coisas
Pelo menos aprendi
Foi a ordem natural das coisas
Que me trouxe até aqui.




 Olás... 

Hoje ao passar por aqui resolvi matar a saudade de postar para vocês!
Esse lugar deixou boas recordações...
As interações e participações foram muito especiais!

Tenho certeza de que ficou muito de vocês em nós...

Um abraço carinhoso





domingo, 20 de março de 2011

Despedida... Obrigada a Todos pelo carinho!


Um novo caminho
(dos Santos)

Hoje começo um novo ciclo,
Com lembranças doces e um coração perdido
Parto para um caminho desconhecido,
Pois sei que andar ainda é preciso

Sem magoas ou indiferenças, viro a página desse livro
Com a experiência de quem encerra uma etapa
Caminho sem mentiras ou amarras,
Apenas lembranças e algumas lágrimas

Acredito no que não vejo, sigo com fé meu caminho
Transformo-me em novo ciclo
Carrego comigo lembranças dos caminhos já percorridos

Sigo então com paz de espírito.
Esperança para um novo re-inicio,
E amor que abre as portas para o infinito.






Partimos mas fica a certeza de que estamos muito... 



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails